Preso por suspeita de estupro, Jobson divide cela comum com detentos no PA
24/06/2016 12:45 em Esporte

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) informou nesta sexta-feira (24) que ainda não recebeu da Polícia Civil pedido de transferência do ex-jogador de futebol Jobson, que está detido na carceragem de Conceição do Araguaia após ter sido preso por suspeita de estupro na quinta-feira (23).

De acordo com a Polícia Civil, o ex-atleta do Botafogo está em uma cela comum, dividindo o espaço com pelo menos outros 10 presos provisórios. A polícia informa que o atleta deve ser transferido para um presdídio da Susipe até segunda-feira, mas a superintendência confirmou em nota que este pedido ainda não foi protocolado.

De acordo com a Susipe, caso a transferência seja solicitada o provável destino do suspeito será a cidade de Marabá, no sudeste do Pará. A reportagem<b> </b>tenta contato com o advogado do ex-jogador, Bruno Willian da Silva, mas ainda não foi atendido.

Ex-mulher teme retaliações
A ex-mulher de Jobson, Thayane Freitas, teme que a prisão do jogador poss trazer problemas para o filho do casal, que mora com a mãe no Distrito Federal. Em entrevista ao jornal O Liberal, Thayane disse que deve manter o menino de 6 anos afastado da escola nos próximos dias.

 - Eu estava no trabalho quando me avisaram da história (prisão). É um baque, né? Temos um filho de seis anos e ele não entende muito bem isso. Tenho medo quie o meu filho sofra algum abuso, porque acusar o pai dele de estupro é algo muito forte - afirma. - Não sei o que vai acontecer (com o filho). As pessoas são ruins e não sei o que vão falar para ele.

Segundo o jornal, Thayane disse ainda que entrou em contato com o ex-jogador na véspera da sua prisão.

- Falei com ele ontem (quarta-feira) à tarde, ele estava bem, normal. Conversamos e a gente pensava em reatar no futuro. Para mim, ele tinha mudado. Por isso, essa história é um susto. Somos amigos, temos um filho em comum. Olha, fiquei um bom tempo com ele. Pelo que conheço, não seria capaz de fazer isso. Mas não sei o que falar, não.

Jobson conversou com o Esporte Espetacular (Foto: Daniel Cardoso)Jobson é suspeito de estupro no Pará (Foto: Daniel Cardoso)

Suspeita de estupro
Segundo nota divulgada pela assessoria da Polícia Civil do Pará, o inquérito policial foi instaurado há uma semana, depois que uma das vítimas, uma garota de 13 anos, denunciou que fotos suas em situações pornográficas estavam circulando em grupos de rede social. Ainda segundo a vítima, o jogador teria aliciado a menor em Conceição do Araguaia para levá-la até sua chácara, no Tocantins, junto com outras três adolescentes. Lá, as vítimas teriam sido embriagadas e entorpecidas para, em seguida, serem abusadas sexualmente.

 

Ainda de acordo com as denúncias, uma das menores chegou a telefonar para o jogador, dizendo que iria denunciá-lo, e ele, em seguida, teria feito ameaças à garota. Jobson também é suspeito de um quinto caso de estupro, que ainda está sendo investigado pela polícia.

- Ele aliciava as garotas para fazer festas com bebidas e drogas e as levava para sua chácara ou para outros lugares. São quatro adolescentes, uma vai completar 13 anos, a outra já tem 13 anos completos e as outras duas têm 14 anos completos - afirmou o delegado Rodrigo da Motta, em nota da Polícia Civil.

As vítimas passaram por exames periciais e atendimentos médicos. Nas duas menores de 12 e 13 anos foi constatado que houve conjunção carnal. As outras duas adolescentes alegaram, em depoimento, que consentiram as relações sexuais, no entanto, afirmaram que estavam sob efeito de bebidas alcoólicas e substâncias entorpecentes colocadas na bebida.

Jobson deixa departamento médico do Botafogo (Foto: André Luiz Mello/Agência O DIa)Jobson teve passagem pelo Botafogo e carreira marcada por polêmicas (Foto: André Luiz Mello/Agência O DIa)

Suspensão e polêmicas
Jobson está suspenso pela Fifa de realizar qualquer atividade relacionada ao futebol até 31 de março de 2018, após ter sido flagrado em um exame antidoping. Ele foi acusado pelo clube Al Ittihad, da Arábia Saudita, de se recusar a fazer exame antidoping. Posteriormente, a Fifa deu validade mundial à pena que, de início, foi imposta pela Federação Saudita de Futebol. A suspensão aconteceu em abril do ano passado. Em março, o atleta teve o seu recurso rejeitado pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês).

Também em março, o atacante foi proibido de atuar em competições amadoras da sua cidade natal. De acordo com Everaldo Lisboa, presidente da Liga Esportiva de Conceição do Araguaia (LECA), Jobson iria defender o Leãozinho na Liga local, mas a equipe do Combatente também apresentou sua inscrição, o que causou a confusão e o impedimento dele atuar no campeonato.

Em julho de 2015, o ex-atleta foi detido em Conceição do Araguaia e passou duas noites na cadeia após dirigir alcoolizado, resistir a prisão e desacato

Fonte:Globo Esporte.com

COMENTÁRIOS