RC enterra divergências na base e vira foco de especulações sobre futuro
10/12/2018 23:51 em Política

"É normal em algum momento você ser incompreendido", diz governador Ricardo Coutinho sobre relação com aliados da ALPB

Se depender do governador Ricardo Coutinho, do PSB, as polêmicas envolvendo a base aliada na Assembleia Legislativa da Paraíba ficaram no passado. Para ele, qualquer desentendimento que por ventura tenha existido faz parte do jogo político, que em alguns momentos pede para que a corda seja esticada. 

"Não temos nenhum problema, nenhum problema com Ricardo nem com nenhum deputado. É normal em algum momento você ser incompreendido, você esticar a corda. Isso é normal. As coisas estão caminhando bem", ressaltou.

Ontem, domingo (09), o chefe do executivo se reuniu com com aliados para fazer um balanço dos oito anos do seu mandato, durante um jantar em um badalado restaurante da Capital paraibana.

Na ocasião ele proferiu um discurso emocionado onde teve muitos agradecimentos mas também cobranças para que àqueles que ficaram na gestão tenham empenho redobrado agora no comando do governador João Azevêdo.

Na próxima sexta-feira, dia 14, demais integrantes da nova administração deverão ser anunciados. A expectativa continua.

Já sobre os espaços políticos que Ricardo deve seguir a partir de 1º de janeiro, Coutinho prefere se ater a seu retorno aos quadros da Universidade Federal da Paraíba, onde é servidor efetivo, mas, informações divulgadas pelo site ‘O Antagonista’ dão conta que o paraibano assumirá em 2019 a presidência da Fundação João Mangabeira (FJM), órgão criado pelo PSB em 1990 com o objetivo de consolidar, aprofundar, difundir e construir o socialismo democrático.

 

O órgão realiza e apoia a realização de ciclos de estudos, cursos, simpósios, conferências e seminários; patrocina a realização de pesquisas e estudos de cunho econômico, social, cultural e político; e publica livros e/ou cartilhas que possam contribuir para a formação política do cidadão. O governador eleito do Espírito, Santo Renato Casagrande, é o atual presidente da Fundação, mas está licenciado do cargo.

Fonte:PB Agora

COMENTÁRIOS